O Querer, o Poder e o Fazer



Meu primeiro envolvimento com a área de eventos e relações humanas deu-se a partir dos meus 15 anos. Nessa época fui convidado a trabalhar num grupo de monitores infantis na cidade de Santos/SP, dirigido pela D. Dirce Marina (in-memorian), o grupo chamava-se Traquinagem – A Alegria de ser Feliz, era composto por aproximadamente trinta jovens (moças e rapazes), na sua maioria de Santos, poucos de São Vicente e somente eu de Praia Grande, quase todos em idade escolar, pois só a partir dos 15 anos era possível ingressar no Traquinagem.

Além das viagens com os grupos de alunos de escolas para hotéis fazenda e festas de confraternização nas indústrias de Cubatão e Guarujá, toda semana o Traquinagem era contratado para monitorar festas infantis (aniversários) da alta sociedade nas cidades de Santos e Guarujá, sim, monitorar, não havia personagens, trabalhavamos de "cara limpa", apenas uniformizados e fazendo brincadeiras de rua, aquelas que já não existem mais.

Todas as contratações eram realizadas exclusivamente através da D. Dirce Marina, que semanalmente fazia o rodízio entre os integrantes do Traquinagem, para que todos tivessem ganhos parecidos, não havia favorecimento, o período de provas escolares dos integrantes era sempre muito respeitado, a formação escolar e familiar era primordial para ser um integrante do Traquinagem.

Quando D. Dirce Marina ligava para avisar que tinha uma festa, ou viagem, ou evento, sempre me fazia duas perguntas:

- Armando, você QUER fazer parte da equipe dos aniversários no próximo fim de semana?

Após a minha resposta que quase sempre era afirmativa, ela fazia a outra pergunta.

- Armando, você PODE fazer isso?

E, assim desde os meus 15 anos sempre usei essas duas perguntas – o querer fazer e o poder fazer – como base nas minhas decisões e também quando chamo alguém para juntos iniciarmos um novo projeto.

Há alguns dias, numa terça-feira, estava voltando de Santos, , e como o Orquidário acabara de ser reinaugurado resolvi passar em frente para ver como havia ficado após a reforma, seguindo sentido a divisa Santos/São Vicente, passando em frente ao Clube dos Ingleses vejo um renomado empresário da região entrando a pé no clube e carregando suas raquetes profissionais, até aí tudo normal, o Clube dos Ingleses de Santos tem ótimas quadras de tênis, mas o que eu quero ressaltar é que eram 11:00 horas, e nessa hora lembrei-me das perguntas que semanalmente me eram feitas – você QUER, você PODE? – e pude realmente compreender que estava faltando o FAZER.

Viajo por muitas cidades realizando treinamentos empresariais, converso com empresários dos mais diversos setores, na sua maioria com até 55 anos, e sempre ouço que estão exaustos e no limite do stress.

Será que o empresário que vi entrando no Clube dos Ingleses numa terça-feira as 11:00 horas é diferente dos demais empresários que converso?

Conheço-o e também sou cliente da sua rede de restaurantes na Baixada Santista, outro dia ele me falou de que gerava mais de 150 empregos e que tem empresas em quatro cidades na região, ou seja, ele é tão igual ou parecido ao vários empresários que encontro pelos meus treinamentos.

A diferença que é que ele QUER, PODE e FAZ!

Quantas vezes na rotina do seu dia a dia, você QUER curtir mais a sua família, você PODE curtir mais sua família, ter mais qualidade de vida, cuidar da sua saúde e bem estar, e quando você percebe passaram mais um, dois ou três meses trabalhando, ralando pra fazer fortuna e, foi derrubado simplesmente porque deixou de FAZER por você e pela sua família?

Quantas vezes na rotina do seu dia a dia, você QUER ter tempo para assistir um bom filme, peça de teatro, jantar com seu cônjuge ou um amigo, sair pra dançar, caminhar sem compromisso, ler um bom livro, você PODE ter tempo para assistir um bom filme, peça de teatro, jantar com seu cônjuge, sair pra dançar, caminhar sem compromisso, ler um bom livro, e quando você percebe passaram mais quatro, cinco ou seis meses trabalhando, ralando pra fazer fortuna e, foi derrubado simplesmente porque deixou de FAZER?

Refletindo nas duas perguntas acima, vale lembrar que o meio do ano bate à porta, seis meses já se passaram e uma importante e urgente mudança se faz necessária para que os próximos seis meses da sua vida não continuem no QUERER, PODER e sem FAZER!

FAÇA a partir de hoje um pacto, aceite que mesmo sendo um empresário de sucesso, de nada adianta viver preso como um passarinho numa gaiola de ouro.

Lembre-se que não basta você QUERER e dizer que PODE curtir mais o convívio com a sua família, ter mais qualidade de vida, ter mais tempo para ler um bom livro e viver o que a vida pode lhe oferece de melhor.

QUERER, PODER e FAZER, este é o ciclo da REALIZAÇÃO pessoal, profissional, familiar e afetiva, e só depende de você.

O ciclo só estará realmente fechado quando você FIZER, tudo que você diz que QUER mas não FAZ, diz que PODE mas não FAZ.

Então FAÇA!


Armando Di André Comitre Rigo
Provocador de Ideias e Atitudes
www.facebook.com/provocadorideiasatitudes

Para palestras e atendimento de Coaching ligue: (13) 98191.4350


Foto: Projetado por Rawpixel.com - Freepik.com


Comentários
* O e-mail não será publicado no site.